segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Demandas & Soluções para o transporte urbano por ônibus.


O administrador competente atende às demandas, gerando soluções de boa qualidade.

No caso do transporte coletivo urbano por ônibus, podemos equacionar a seguintes demandas e soluções, geradoras de um sistema racional:

Deslocamento para empregos.

Deve ser oferecido ônibus confortável e climatizado, para passageiros sentados, disponibilizados em horários combinados com os usuários, para percursos racionais.

Este deslocamento é custeado pelo empregador e não precisa ser subvencionado.

Deslocamento para locais determinados.

Identificada a demanda, a comunidade definirá o tipo de veículo desejado, horários e percursos.

Terá uma tarifa determinada pelo custo operacional e aproveitamento de lucros gerados pelo sistema.

Deslocamentos com assentos reservados.

Um transporte seletivo deve ser disponibilizado para atender a demanda gerada pelas restrições de circulação de carros particulares nas áreas centrais das cidades.

Tarifa definida para gerar lucro operacional ao sistema.

Passageiros com necessidades especiais.

A demanda será atendida com a utilização de veículos adequados.

Tarifa subsidiada por lucro decorrente dos deslocamentos com assentos reservados.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Transporte urbano por empreendedores individuais.


O transporte urbano não deve ser realizado por empresas, pois se trata de uma prestação de serviços e não um negócio a ser explorado.

O poder público deve organizar esta prestação de serviço de acordo com a demanda gerada pela comunidade. Esta demanda é constantemente alterada, como de resto são todas as demandas.

Conceder para empresas as concessões de serviços a serem explorados por prazos definidos, contraria a flexibilidade que deve existir, determina um aumento de custo operacional em torno de 30%, e torna o sistema vulnerável aos conflitos trabalhistas.

O sistema de taxis, de taxis lotação e de transporte escolar, quando operados por empreendedores individuais, proprietários dos veículos, funciona muito bem e os ônibus podem operar da mesma maneira.

O planejamento do transporte urbano determinará a utilização dos ônibus autorizados, adquirindo o serviço prestado, ao preço definido por viagem autorizada. O reembolso para o Município, via tarifa, será uma decorrência de política social, pois transporte coletivo urbano é um direito do cidadão.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Transporte em Porto Alegre: Problema e Solução.



O impasse relacionado com a interrupção do sistema de transporte coletivo por ônibus, em Porto Alegre, não será solucionado, caso se procure um entendimento entre as empresas licenciadas e o Sindicato que representa seus empregados.

As empresas licenciadas terão que se submeter, em breve, a um processo licitatório, evidentemente imprevisível, se bem elaborado.

Esta insegurança atinge as lideranças sindicais, determinando uma radicalização que inviabiliza qualquer entendimento.

A Prefeitura, através da Carris, tem participação direta em 25% do problema, sendo envolvida como parte interessada, comprometendo suas decisões como Poder Executivo.

Face a esta situação, cabe à Câmara Municipal, no desempenho de seu papel de representação da população prejudicada, participar eficazmente de uma solução.

O cancelamento de todas as concessões vigentes, com a simultânea desapropriação de veículos que interessem, permitirá o retorno do sistema de transporte, sendo os ônibus operados por motoristas credenciados.

As atuais empresas licenciadas deveriam orientar suas atividades para a revenda e manutenção de veículos, recebendo para tal o apoio legal da Prefeitura para esta nova atividade.

 motoristas, que corriam o . risco de serem dispensados das empresas que não continuasse licenciadas, terão a possibilidade de serem credenciados como microempreendedores autônomos, operando veículos de sua propriedade.

Uma solução só é de boa qualidade quando resolve um problema sem gerar outros.

Carlos Reinaldo Mendes Ribeiro

Professor de Administração, Empresário, Sanitarista e Escritor